Porque Está Mais Do Que Na Hora De Fazer Um Upgrade Para Máscaras PFF2/N95

Antes de começar, pegue um chá (talvez um café seja mais indicado…), se acomode que o papo é longo (Ô!). Mas vale a pena, porque eu fiz um resumão bem detalhado (e às vezes repetitivo, sorry!) com todos os pontos que você precisa saber para se proteger e proteger aos seus usando máscaras mais eficazes, que no caso são as PFF2/N95. A ele, pois:

Primeiramente, pra quem ainda não sabe, as máscaras PFF2/N95 são máscaras chamadas de respiradores e que costumam ter o elástico prendendo por trás da cabeça e não nas orelhas. Elas não são máscaras médicas particularmente, são máscaras para trabalhadores de obras e mineradores para proteger as vias respiratórias de partículas de todos os tamanhos que podem causar problemas se inspiradas. E justamente por isso é que elas também servem como proteção pra lá de eficaz contra vírus. E serve tanto para proteger quem usa como para proteger os outros caso o usuário esteja contaminado.

Aura: Um dos modelos N95/PFF2 e queridinha de muitos pela ótima vedação e conforto. Mas esta é uma das mais caras (no site da 3M é vendida por R$8,50). Tem outras mais em conta.

E estas máscaras garantem maior proteção porque elas têm uma manta tecnológica que filtra tanto o ar que entra como o ar que sai e nenhuma partícula (grande ou pequena ou mínima) passa por ela. E elas ainda têm uma ótima vedação que não permite que o ar saia e nem entre por cima, por baixo e nem pelas laterais. E pra estar bem protegido esta vedação é essencial. Porque ar entrando pelas frestas pode te levar a respirar estas partículas mínimas com vírus.

Aqui tem um ótimo video mostrando como estas máscaras funcionam.

Detalhe: N95 ou PFF2 são o mesmo tipo de máscara. Nos EUA ela recebe o código de N95, aqui de PFF2.

E por que se faz necessário este upgrade? Bom, primeiro porque o vírus está mutando (se quiser saber como isso acontece clica aqui) e já temos variantes (aqui um artigo sobre estas novas mutações/variantes) que são mais transmissíveis e contaminam mais rápido e mais facilmente rondando por aí. Além disto ser ruim porque vai infectar mais gente mais facilmente (duh!), se não contermos a propagação do vírus, periga destas mutações, que vão continuar acontecendo, gerarem outras variantes que tornem as vacinas existentes (aka uma das nossas salvadoras desta pandemia infernal) menos eficazes ou até nada eficazes. Isso é uma possibilidade real e como vacinar todo mundo ainda vai levar um tempo, temos que fazer tudo o que podemos para minimizar estas mutações até lá, ou seja, temos que conter a transmissão. Por isso a necessidade de um upgrade pra já.

Porque pra conter estas novas variantes mais transmissíveis precisamos sim de máscaras com maior poder de vedação e filtragem.

E é importante fazer este upgrade também porque já faz um tempo que é notório que o vírus é airborne, ou seja, ele não é somente transmitido por gotículas (droplets) que de tão pesadas caem logo no chão como se acreditava lá no começo; ele também pode ser transmitido (e dominantemente) por pequenas partículas chamadas aerossóis que são tão pequenas que ficam suspensas (por minutos ou horas, ainda não se sabe) no ar depois de serem expiradas por quem está infectado. Estes aerossóis são como nuvens invisíveis pairando no ar que se alastram e ficam concentradas em locais fechados, sem ventilação ou mal ventilados, podendo ser inalados nestes espaços mesmo horas depois de alguém com o vírus já ter saído do local, não tendo distanciamentos seguros pra isso. E ele fica lá porque sem ter ar fresco, ar novo, oxigênio ventilando o ambiente, o ar não se renova e sem esta renovação de ar não tem como dissipar nem diluir o vírus. E sem isso o vírus fica lá, no ar pronto pra ser inspirado. Aqui tem um artigo ilustrando como se dá o contágio em lugares mal ventilados e como ventilação faz sim a diferença neste caso. E aqui uma simulação de como ele se alastra via aerossóis e como cai logo no chão via droplets. Lembrando que aerossóis não são somente perigosos e contagiosos quando estão no ar num ambiente fechado, mal ventilado. Ele também pode infectar as pessoas diretamente ao ser expirado por quem estiver infectado se não mantiver um certo distanciamento e não estiver usando máscaras que filtrem estas partículas pequenas adequadamente. Por isso o upgrade para máscaras mais adequadas é essencial.

Foto: Twitter Reprodução.

E é muito importante entender que por ar fresco, ventilação eu me refiro a grandes janelas abertas ou ventiladores sendo usados nas janelas (com a sua parte da frente pra fora) pra levar o ar de dentro pra fora pra que ele seja renovado, e não, de ar condicionados ou ventiladores no meio do espaço. Isso não faz de um local um lugar bem ventilado não, muito pelo contrário. O ar precisa ser constantemente renovado. Oxigênio tem que entrar.

Claro que o ideal seria evitar lugares fechados e mal ventilados, mas como muitas vezes isso é impossível e as pessoas em geral não têm ciência de como acontece a contaminação por aerossóis, o melhor que se pode fazer é dar um upgrade nas máscaras que usamos, porque só máscaras com a devida filtragem para estas partículas pequenas (aerossóis) e bem vedadas conseguem garantir uma percentagem de proteção alta ao entrar em lugares assim mal ventilados. As outras… nem tanto. Nem as de pano, nem as cirúrgicas, muito menos as de crochê ou aquelas versões cuecas na cara. Por isso a necessidade deste upgrade, ainda mais se tiver que ficar nestes lugares por um longo tempo.

Uma das máscaras N95/PFF2 mais em conta

E pra fechar os motivos para se fazer o upgrade… na primeira onda já havia uma certa recomendação pra se usar as N95/PFF2, sobretudo para os profissionais de saúde. Mas lá o estoque estava capenga e como estava muito difícil para os profissionais de saúde da linha de frente obtê-las foi indicado que elas deveriam ser usadas somente pelos profissionais de saúde. Fair enough. Então a saída foi recorrer às máscaras de pano que garantiam uma certa proteção aos usuários e eram até bem eficientes pra evitar que contaminados, sobretudo os assintomáticos, disseminassem o vírus já que a variante em questão era bem menos transmissível. De qualquer jeito, pra isso elas teriam que estar bem ajustadas ao rosto e não vazarem ar por cima, por baixo e pelas laterais e nem serem muito finas a ponto de vazar ar pela frente também. E deveriam ter pelo menos três camadas sendo uma com algum tecido filtrante e tal. E todos sem exceção deveriam usar máscaras o tempo todo que estivessem fora de suas casas. Mas né… não foi o que aconteceu… e nem tem sido isso que acontece… O festival de máscaras equivocadas e usadas de forma totalmente erradas é o praxe.

Enfim…

Por isso também, por nem todo mundo estar por aí de máscara o tempo todo e muito menos usando a máscara de forma adequada ou mesmo usando máscaras com um mínimo de boa proteção ainda hoje, com um ano de pandemia, é que se faz necessário o uso de máscaras melhores se você quer de fato se proteger. Porque estas máscaras N95/PFF2 oferecem sim uma proteção bem maior (mínimo de 95% como disse acima) protegendo bem melhor tanto o usuário quanto os outros, já que vai conter mais eficientemente que alguém contaminado espalhe o vírus.

Entendeu porque que a gente deveria estar usando estas máscaras?

E pra ontem?

Esta aqui é da Moldex e pode ser usada para fazer ressonância ou quando tiver que entrar em locais que não permitam metal pois ela não tem metal pra ajustar o nariz.

E sim, ainda é recomendado lavar as mãos com sabão ou usar álcool sempre que tocar em algo ou antes e depois de lidar com a máscara e antes de levar as mãos ao rosto, mas já não é considerado tão importante assim a limpeza das superfícies ou mesmo das compras porque a transmissão via fomites (superfícies) é bem mais rara. Bem mais. Se é que é possível. Aqui tem um ótimo artigo a respeito.

Outro sim vai pra continuar evitando aglomerações outdoors e indoors e mantendo o distanciamento social porque o contágio também ocorre por droplets e mesmo os aerossóis inalados quando se está perto de alguém contaminado é ainda mais perigoso para se contaminar porque não dá tempo de ser dissipado.

Agora, tem que se entender que em locais fechados, mal ventilados espaçamento social não é garantia de nada porque nestes ambientes, graças aos aerossóis, o vírus pode já estar no ar.

E em todo o lugar.

O principal é entender que no momento, para manter as vacinas eficientes, para nos proteger e proteger aos outros mais eficazmente devemos sim fazer este upgrade para as máscaras N95/PFF2. Pra já. E usá-las sobretudo sempre que sairmos de casa e formos para lugares fechados, mal ventilados. E não tirá-las sob hipótese alguma no tal local. Nem pra beber ou comer. O vírus não é educado e não vai respeitar este ou aquele momento só porque a gente acha que não tem problema, porque é rapidinho ou qualquer outra desculpa que se dê. Indoors, sem ventilação adequada, se o ar estiver contaminado, tirou a máscara a chance de contágio é altíssima. Se precisar tirar a máscara pra beber água, comer etc, tire brevemente e em algum lugar outdoors, sem aglomeração, com bastante ar fresco.

O ideal seria sempre evitar este tipo de lugar mal ventilado, mas quando não for possível evitar, a melhor maneira de ficar protegido enquanto estiver por lá é investindo nestas máscaras PFF2/N95. E usá-las o tempo todo.

👆👆👆👆👆👆Vídeo sobre a probabilidade de contágio ao ar livre. 👆👆👆👆👆👆

Posto isto… Em locais ao ar livre dá pra usar máscaras de pano bem ajustadas sem vazamentos de ar, porque ao ar livre o risco de se contaminar é menor. Desde que não aja aglomerações e nem contatos muito próximos. E eu disse que o risco é menor e não não existente. Porque numa pandemia risco sempre há e a gente deve se orientar pelo nível do risco que podemos estar correndo pra decidir o que fazer. Sempre visando minimizá-lo ao máximo, evitando ao máximo situações de alto risco e perfeitamente evitáveis ou enfrentando as necessárias e de maior risco somente quando não tiver opção e mesmo assim, devidamente equipados.

Dá só uma olhada nesta tabela de riscos considerando a ventilação:

Foto: G1 Reprodução

E sim, hoje em dia já dá pra achar estas máscaras N95/PFF2 com facilidade e até com preços acessíveis. Verdade que tem muito esperto as vendendo por preços abusivos, mas se consegue encontrá-las por preços justos. Aqui tem uma listinha com alguns fornecedores online, se você precisar:

Se por algum acaso a máscara que você quiser não estiver disponível, cadastre-se no Avise-me que assim que reporem os estoques você será notificado. E não, não é um #publi.

Dá ainda pra encontrar em algumas farmácias, na Magalu, Lojas Americanas, Leroy Merlin, no Mercado Livre, na Shopee. Estas máscaras são industriais e em lojas de material para obras/construção da sua cidade você pode encontrá-las também.

Marcas que são de boa pra comprar: GVS, Camper, Delta Plus, 3M, KSN, Moldex, Descarpack, Lubeka, Grazie, Super Safety, Maskface, BLS. Pra te dar uma ideia.

E não, você não vai estar tirando dos profissionais da saúde porque os estoques estão sendo repostos. Ou seja, tem máscara para todo mundo. Pelo menos no momento é este o cenário.

Mais algumas informações pertinentes sobre as PFF2/N95, inclusive como usá-las e reusá-las de forma segura e eficaz:

Uma coisa importante ao comprar a sua máscara é ter certeza que é PFF2 (a PFF1 não serve) e que tenha o selo do InMetro que garante que é autêntica. E um CA (Certificado de Autenticidade válido).

SPC: Uma PFF3 ou elastomérica também servem. Elas são mais eficaz em filtragem que uma PFF2, dando uns 99% a 100% de filtragem. Em qualquer dos casos (PFF2, PFF3 e elastoméricas) pra ter este alto índice de proteção ela tem que estar bem ajustada e vedando adequadamente.

Foto Crédito: melhormascara.com.br

As PFF2/N95, como eu disse acima, têm elástico que prende atrás da cabeça. Isso confere uma melhor vedação. Há máscaras PFF2/N95 presas nas orelhas, as KN95, mas estas costumam não ter uma vedação tão boa quanto as presas atrás da cabeça e tem muitas por aí que nem testadas e aprovadas foram. Por isso mais atenção ainda na hora de comprá-las.

Foto GVS Aero (com válvula): Frontiereepi. #nãoépubli #nãoélinkafiliado

Uma opção pra quem não gosta de máscaras que prendem atrás da cabeça é comprar uma GVS Aero e trocar os elásticos de forma que dê pra prender a máscara nas orelhas. Solta o elástico de um dos lados e o outro elástico do outro lado e depois coloca cada elástico no ajustador do mesmo lado e voilà. Mas ajuste de um jeito que te garanta uma ótima vedação. E dá sim pra conseguir. Faça o teste de escape de ar (logo abaixo eu falo a respeito) e ajuste o elástico até ficar satisfeito.

Ah, e não compre as valvuladas. Estas máscaras com válvulas só protegem quem as usa, pois deixa escapar o ar expirado pelo usuário pela válvula. E mesmo que você já tenha tido a doença, esteja de quarentena rígida e se cuide, não usar a valvulada é um cuidado extra e bem-vindo numa pandemia. Ainda mais no momento em que estamos. Porque por melhor que nos cuidemos não tem como ter certeza que não estamos infectados e muito menos que não estamos transmitindo o vírus. E quando não temos 100% de certeza, melhor evitar ao máximo práticas que podem colocar a vida dos outros em risco de contaminação.

Um update sobre as máscaras valvuladas: Depois de muito debate e testes ficou decidido que elas não são egoístas. Na verdade elas protegem melhor os outros do que máscaras cirúrgicas e de pano, por exemplo. Só as PFF2 sem válvula é que protegem mais os outros. Aqui tem a posição do CDC e aqui da NIOSH (a agência federal dos EUA responsável pela realização de pesquisas e produção de recomendações para a prevenção de lesões e doenças relacionada com o trabalho) sobre elas. Ou seja, dá pra usá-las, sim. Se por algum acaso você não se adaptar a nenhum modelo de PFF2, experimente uma valvulada. Elas costumam ser mais confortáveis e menos calorentas. E são ótimas pra encarar a academia. E podem ser o pulo do gato para convencer os seus pais ou a nonna a usar uma PFF2. Mas ande sempre com uma máscara cirúrgica no bolso, se por algum acaso em algum lugar que você for implicarem com a válvula. Em avião, por exemplo, ela é proibida pela Anvisa. Aí é só colocar a cirúrgica por cima da sua máscara valvulada. Problema resolvido. E é bom levar uma PFF2 não valvulada com você, just in case

E claro, se souber que entrou em contato com alguém positivado ou tenha algum sintoma e desconfie que está infectado, use uma sem válvula se tiver que sair ou ver alguém. O tempo todo. Pra proteger melhor os outros.

E nunca, sob hipótese nenhuma use uma máscara por baixo da sua PFF2/N95. Com ou sem válvula. Isso compromete a vedação dela e vai te proteger bem menos.

Voltando às máscaras PFF2 sem válvula… No começo você pode achar que elas são menos confortáveis ou mais sufocantes etc. Não são. É apenas um desconforto pela falta de costume e é mais psicológico do que físico. Trust me. Elas foram feitas pra serem usadas por mineiros, pedreiros pra trabalhado braçal sob sol a pino ou em lugares sufocantes, quer dizer… Com o uso delas você vai ver que na verdade elas são mais confortáveis e menos sufocantes do que as de pano. Elas têm mais espaço pra respirar. E tem várias opções de modelos de marcas diferentes. Vale muito a pena testar as opções pra ver com qual delas você se adapta melhor. Eu uso de boa qualquer uma delas das marcas que citei acima. A minha favorita é Aura (primeira foto), mas esta é uma das mais caras. Tem outras mais em conta e que performam tão bem quanto como a GVS ou a DeltaPlus.

E uma coisa muuuito importante: você pode (e deve!) reusá-las desde que siga o seguinte protocolo:

Ao usar a máscara por 1 dia, quando retirá-la deixe ela descansando, pendurada, em local ventilado longe da exposição solar, em quarentena por pelo menos 3 dias. O ideal seria deixar 7 dias e ter uma máscara para cada dia da semana. Mas se não der pra você comprar 7 máscaras destas, 3 já dariam pra fazer este esquema de quarentena. Depois deste tempo pode voltar a reusá-la normalmente por 1 dia todo. No final do dia, repete a quarentena e aguarde pra poder voltar a reusá-la.

Neste esquema ela vai durar um bom tempo. E enquanto ela estiver íntegra, vedando e filtrando de boa, pode continuar a usá-la. Só descarte quando ela mostrar sinais de que já deu, como parecer puída, não estiver vedando adequadamente etc. Se por algum acaso o problema da vedação for por causa do elástico, saiba que ele pode ser facilmente trocado. Neste caso basta trocá-lo e continuar usando a máscara.

E por falar em vedação… Sempre que for usar uma máscara N95/PFF2, ao colocá-la, faça o teste da vedação:

Com as mãos na parte de cima da máscara assopre e veja se sente algum ar saindo. Se sentir, reajuste a máscara até não sentir a escapada de ar. Faça o mesmo colocando as mãos nas laterais, na parte de baixo e na parte da frente. Se não sentir ar escapando, está pronta pra usar. Se sentir, reajuste até não sentir mais o ar escapando. Este teste é essencial pra se ter certeza que a máscara está vedada. E sim, ela precisa estar vedada pra te assegurar uma proteção de 95%. E nada de ficar puxando a máscara depois de dar o OK pra vedação. Se mexer, refaça o teste. Mas o ideal é: colocou, não mexe mais. Só pra retirá-la em definitivo. Ou algo próximo disso.

Não use álcool e nem sabão para limpá-la. Isso vai danificar a manta tecnológica que filtra, diminuindo assim a sua eficácia. O processo de desativação do vírus é o que mencionei acima, deixando a máscara em quarentena, sem uso, ventilando, pendurada por alguns dias.

Se elas ficarem molhadas com água (de chuva, por exemplo) ou com suor, não tem problema não. Deixa elas secando e na quarentena ventilando que vão continuar perfeitinhas pra uso.

Aqui tem matéria sobre o inventor da máscara N95/PFF2, como ela funciona e o esquema de quarentena e uma outra aqui mais extensa. É dele inclusive estas guidelines de reutilização das máscaras.

Lembrando que máscaras N95/PFF2 não são o mesmo que máscaras cirúrgicas. As cirúrgicas nem sempre vedam bem. Aliás aqui tem um vídeo mostrando como fazer uma vedação melhor das máscaras cirúrgicas. E a proteção delas sempre foi mais pensando em proteger os pacientes do que em quem as usa. Elas, por exemplo, não têm esta manta tecnológica que filtra aerossóis. Além do que, máscaras cirúrgicas são descartáveis: usou, joga fora, sem possibilidade de reuso.

Já vi matérias (aqui uma) lá de fora sugerindo usar duas máscaras, inclusive, pra se proteger melhor: uma com poder de filtração, tipo uma de pano com filtro ou cirúrgica e outra de pano por cima desde que seja bem ajustada e tal. Lá as N95/PFF2 são ainda difíceis de achar por isso esta sugestão para uma máscara dupla. Aqui encontramos fácil máscaras N95/PFF2 sem interferir no estoque para a área de saúde. E fazendo tudo direitinho, no esquema da semaninha não é necessário ficar comprando um monte de máscaras e nem sempre. Porque fazendo o rodízio da quarentena e usando direito elas duram e te protegem bem. E bem melhor do que as de pano. E fazendo as contas, saem até mais baratas no frigir dos ovos.

Um disclosure aqui: Primeiramente, sei muito bem que não sou expert no assunto. Apenas acompanho avidamente as notícias sobre a pandemia desde janeiro do ano passado. Inclusive desde então colei em alguns profissionais entendidos no assunto que disponibilizam as melhores informações e updates sobre o vírus e a sua transmissão pra sempre ter as melhores informações e a partir daí implementar os meus protocolos pra proteger da melhor forma possível não só a mim, mas aos meus pais que são de alto risco, não só pela idade (ambos têm mais de 75 anos), como também pelas comorbidades. E lógico que já fiz algumas besteiras como comprar umas máscaras pra lá de duvidosas. Demorei séculos pra achar uma decente… Aliás, no começo da pandemia as máscaras disponíveis na sua maioria eram terríveis, né não? Mas enfim, com o tempo fui acertando os passos mal dados. E acho que hoje tenho uma gama vasta de boas e confiáveis informações e por isso estou aqui repassando-as pra você.

E estou aqui escrevendo este longo post porque estou vendo que a grande maioria das pessoas mesmo com tanta informação disponível de qualidade e atualizada ainda parecem não ter assimilado o que se deve de fato fazer para que a gente se proteja de forma adequada. Ou então estão tão apegados às suas máscaras de pano que não querem ou não acham necessário fazer este upgrade. Além do que, pandemia e de um vírus não conhecido é muito importante que a gente fique de olho nos updates sobre as novas descobertas. Porque o que seria o protocolo fechado pra seguir lá no começo pode ir mudando ou sofrendo pequenas alterações à medida que se conhece melhor como o vírus funciona. E como ele vai evoluindo ou mutando. Com foi o caso de ser airborne e das novas variantes surgindo. E com isso atualizar protocolos.

E não só sou eu que ando advogando por este upgrade. Dá só uma olhada nesta matéria do Washington Post que foi a melhor sobre o assunto que eu li ultimamente. Em português tem uma matéria no G1 muito boa e abrangente também, confere lá.

Pra seguir no twitter e se manter sempre bem informado sobre as atualizações e protocolos eficientes algumas arrobinhas que recomendo e que têm me mantido muito bem informada:

FVGuima – Tradutor da área de saúde super bem informado sobre máscaras e sobre as últimas atualizações sobre o vírus e afins. Meu primeiro guru de máscaras e que me ajudou muito a navegar por esta pandemia. Inclusive ele tem um projeto lindo de doações de EPI para os profissionais de saúde que trabalham na linha de frente. Se puder, contribua. 🙏

Observatório Covid-19 BR – Iniciativa independente com colaboradores qualificados pra difundir informações corretas e atualizadas.

VitorMori – Membro do Observatório Covid-19 BR e médico. Um dos meus gurus de máscaras. E um dos que mais batem na tecla da necessidade de se prestar atenção na ventilação dos ambientes e no uso de máscaras N95/PFF2.

Bruno Filardi – Oncologista muito bem informado, sobretudo, sobre vacinas.

Luiza Caires – Jornalista de Ciência.

Melanie Fontes-Dutra – BioMédica e Divulgadora Científica. Ela tem as melhores e mais bem explicadas sobre tudo que importa saber.

Natália Pasternak – MicroBióloga.

Otavio Ranzani – Epidemologista.

Marcio R Bittencourt – Cardiologista

Denise Garrett – Médica e Epidemologista.

Ricardo Parolin – Médico.

Alexandre Zavascki – Professor de Infectologia.

QualMascara – Informações ótimas sobre máscaras.

PffParaTodos – Site com um apanhado de informação e links de compras de pff2.

Chise – Minha arrobinha favorita pra saber sobre estudos de vacinas e se atualizar sobre o vírus. Em inglês.

Prof. Jose-Luis Jimenez – Expert em Aerossóis. Lá tem sempre muita informação sobre Airborne, como se melhor proteger e tal. Em inglês e espanhol.

Dra. Leticia Kawano-Dourado – Pneumologista e pesquisadora. Ela tem sempre muita informação confiável sobre o que anda acontecendo, proteção, testes etc. Esse link é do Instagram.

No mais, sempre se mantenha bem informado. Atualizado. Se cuide. Se proteja. Cuide e proteja os seus. Proteja a todos. Use sempre máscara. Evite locais mal ventilados. Prefira sempre os bem ventilados e os ao ar livre. Higienize as mãos. Mantenha distanciamento social. Evite aglomerações. E quando for a sua hora, vacine-se.🙏

Resumão!

Um update sobre este post em Outubro de 2021: Como eu tinha dito acima, pandemia é algo que está sempre em movimento e protocolos e maneiras de minimizar os riscos vão mudando de acordo com o que se vai descobrindo ou vai se adicionando no cenário atual como vacinas e alta taxa de vacinação (completa) e diminuição da curva de contágio mais hospitalizações e mortes. E sim, tanto a vacinação como a boa adesão à vacinação e agora a baixa no número de casos e hospitalizações por aqui (será que pela primeira vez desde que a pandemia começou, vamos de fato derrubar a curva?🤞) estão contribuindo para flexibilizar um pouco a nossa rotina pandêmica. Dito isso, é bom deixar claro que a Pandemia ainda não acabou e nem controlada de fato está, portanto, ainda não chegou o momento de cogitar vida normal direto etc e tal. Mas dá sim pra rever alguns dos protocolos. Com o cenário atual, por exemplo, atividades ao ar livre, que já eram bem mais seguras do que as praticadas em ambientes internos, são ainda mais indicadas. E dá inclusive pra não usar máscara desde que não haja muita gente ao seu redor (a famosa aglomeração) e nem que fique de papo próximo a alguém. Caso contrário, máscaras são necessárias ainda sim. Mesmo que todos estejam vacinados com as duas doses e/ou o reforço.

Em ambientes internos, o uso de máscara se faz sim necessário. E as PFF2/N95 ainda são as máscaras mais indicadas. Mesmo para vacinados, afinal vacinas são feitas para prevenir que a doença se manifeste de forma grave e não para prevenir infecção. A gente deu uma baita sorte de ter vacinas que vieram com o plus de evitar contaminação/infecção, mas nem as melhores neste quesito são infalíveis. E isso não é falha do imunizante. E mesmo em vacinados, tem sempre a possibilidade mesmo que baixa de ter Covid grave. Ou ainda ter uma forma leve ou assintomática e mesmo assim ter sequelas de quem foi infectado como é o caso de quem sofre de Covid longa. Ou seja, vale muito a pena continuar se protegendo com máscaras adequadas mesmo vacinado. Afinal, ninguém sabe quem vai ser sorteado com a forma mais grave ou quem terá Covid longa independente do grau de gravidade da infecção. Pelo menos, não ainda.

E sim, quem é vacinado tem menos chances de sofrer de Covid longa, mas não elimina por completo a possibilidade, tá?

Lembrando sempre que mesmo assintomáticos, vacinados ou não continuam podendo transmitir o vírus.

Pois é…

E falando das máscaras PFF2/N95… elas continuam com preços bem acessíveis. E no atual cenário da pandemia (com vacina no braço e menos vírus transitando) já pode deixá-la descansando somente overnight e usá-la no dia seguinte.

Pra mim, academias, bares, restaurantes, teatro, cinema e festinhas só ano que vem. E talvez. Mas pra quem pretende encarar pra hoje, saiba que geralmente estes espaços internos não são bem ventilados e portanto máscaras de boa qualidade se fazem necessárias. Se quiser comer ou beber correndo menos risco, procure lugares que tenham mesas ao ar livre. Dentro de teatro e cinema use sempre a máscara e deixe pra comer ou beber do lado de fora ou após o evento, preferencialmente em ambiente ventilado, ou ao ar livre. Se quiser fazer academia, use máscara e PFF2. Experimenta a valvulada que vai facilitar a respiração e a sensação de umidade na máscara.

Use máscara no transporte público ou compartilhado, locais de saúde como clínicas, hospitais etc, shopping, lojas, escritório.

Sobre a higienização das mãos… higienizar as mãos é uma ótima medida pra se ter pra vida, independente de Pandemia. Isso vai inclusive evitar contágio de outras doenças que se pega assim como a Gripe. O risco disso acontecer com a Covid é muito baixo, isso porque Covid é Airborne (pega no ar via aerossóis inalados). A neura neste quesito, ainda mais se devidamente vacinado, pode dar um tempo.

E boa ventilação continua sendo junto com as máscaras (em locais internos ou sem ventilação adequada) e o não aglomerar os protocolos que juntamente com a vacinação vão nos tirar dessa e que ainda são necessários pra isso.

Eu sei que aqui no Rio e em outras cidades já tem bastante coisa liberada, mas vamos com calma. Sei que está todo mundo de saco bem cheio de tudo isso, mas olha só o desastre que foi esta liberação geral antecipada em países como os EUA, Inglaterra e Israel. A gente está bem próximo de virar esta página, o que custa esperar um pouquinho mais pra abolir máscaras pelo menos em lugares internos? Estamos no final de Outubro já, Natal e Ano Novo estão ali na esquina. Bora esperar pelo menos que 90% da população total incluindo crianças esteja vacinada com as duas doses pra aí sim pensar em não precisar usar máscaras em locais fechados sem boa ventilação. 🙏

Combinado?💕

Um novo adendo em Dezembro de 2021: este post foi escrito quando a Delta era a variante que estava ameaçando se tornar dominante e a mais transmissível até então. O update, quando já estávamos com boa taxa de vacinação e pela primeira vez com a curva achatando. Agora temos uma outra variante avassaladora no pedaço, a Omicron, que é muuuito mais transmissível do que a Delta e que mesmo estando devidamente vacinados com as 3 doses podemos nos contaminar mais facilmente com o vírus. Ou seja, vacina sozinha não vai te proteger contra infecção. É claro que nós vacinados temos a vantagem de contar com o efeito protetor das vacinas que nos dão uma chance muito maior de termos uma versão mais branda da Covid-19. Mas vou repetir: com a Omicron, mesmo vacinados, a chance de nos contaminarmos com o vírus é maior do que tínhamos com a Delta. Por isso este post é ainda mais relevante. Porque além de vacinados temos que fazer uso das máscaras mais eficientes e que de fato protegem contra #VírusAirborne que é o que a Covid-19 é. E estas máscaras são justamente as PFF2/N95 ou então as PFF3 ou as elastoméricas #nãoépubli. Cirúrgicas, de pano, mesmo que bem ajustadas não são tão eficientes como estas. Aqui tem um artigo recente falando a respeito.

Além das máscaras PFF2/N95, usadas sobretudo em ambientes fechados e/ou sem ventilação adequada (se bem que é uma boa idéia usá-las também em ambientes externos, ao ar livre até sabermos melhor se com a Omicron dá pra fazer isso sem aumentar o risco), evitar aglomerações de qualquer porte em qualquer lugar, ventilar e bem os ambientes, sempre, sobretudo se vai receber alguém, mesmo todos estando de máscaras (mas especialmente se máscaras forem tiradas) e devidamente vacinados são ótimas medidas que ajudam a reduzir riscos. Porque Pandemia é isso: redução de riscos.

E com a Gripe por aí competindo com a Covid, saiba que ao tomar estas medidas contra a Covid você vai estar se protegendo também contra a Gripe. E adicione ainda o higienizar as mãos porque contra a Gripe é uma medida essencial.

E se sentir qualquer sintoma de Covid, Gripe ou Resfriado, fique isolado. Dá pra procurar postos de testagem pra fazer teste e saber o que você tem, mas os testes de Covid muitas vezes demoram a dar resultado positivo mesmo com sintomas. Por isso, se sentir algo, se isole. Se tiver que sair, use a PFF2. Sempre.

Se cuide. Se proteja. Use máscara PFF2. Prefira atividades ao ar livre. Ventile bem os ambientes. Vacine-se e com a dose de reforço também se já tiver 4 meses da segunda dose. Aqui tem um artigo tirando dúvidas sobre as doses de reforço.

E vacine os seus filhos. Além de protegê-los, isso vai ajudar e muito a baixar o índice de transmissão do vírus o que é essencial para que todos estejamos mais protegidos. Porque vacinação é uma medida que deve ser pensada de forma coletiva e não individual. Só estaremos realmente protegeidos quando todos estivermos protegidos. E com a Omicron, parece que vai ter que ser todos mesmo.

No mais, no momento não é hora de relaxar, mas de reforçar e redobrar os cuidados, de respirar prudência porque a Pandemia ainda não acabou e se continuarmos vivendo como se isso fosse verdade mais tempo vai demorar para que de fato saiamos dela.

Fique bem!💕

E faça um upgrade na sua máscara se ainda não o fez.🙏💕

Um comentário em “Porque Está Mais Do Que Na Hora De Fazer Um Upgrade Para Máscaras PFF2/N95

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: